segunda-feira, 9 de abril de 2018

GRAFITE DE ALEXAMENOS

Grafite de Alexamenos



O grafite de Alexamenos
grafite de Alexamenos também conhecido como grafite blasfemo é uma grafite da Roma Antiga gravado em gesso sobre uma parede nas proximidades do Palatino, em Roma, hoje encontrado no Museu Antiquário do Palatino. É uma das primeiras representações gráficas da crucificação de Jesus, junto com algumas gemas encravadas. É difícil datar, mas estima-se que tenha sido feito por volta de 200. A imagem parece mostrar um jovem adorando uma figura crucificada e com cabeça de burro. A inscrição grega traduz-se aproximadamente como "Alexamenos adora [o seu] deus", indicando que o grafite aparentemente foi feito para satirizar um cristão chamado Alexamenos.
A imagem representa uma figura crucificada de corpo humano e cabeça de burro. No canto superior direito da imagem aparece algo que já foi interpretado como a letra grega upsilon ou uma cruz de tau.Há um homem jovem à esquerda da figura crucificada, aparentemente representando o tal Alexamenos,;o homem levanta a mão em um gesto que possivelmente sugere adoração.Abaixo da cruz aparece um rótulo escrito em gregoΑλεξαμενος ϲεβετε θεον. Em grego padrão, a palavra ϲεβετε é a forma imperativa do verbo "adorar". Isto sugere que a tradução da setença seria "Alexamanos, adore Deus!"Entretanto, vários pesquisadores sugerem que ϲεβετε deve ser entendido como uma variante do grego (provavelmente uma confusão fonética)ϲεβεται, que significa "[ele] adora". Assim, a inscrição seria traduzida como "Alexamenos adora [seu] Deus". Entretanto, várias outras fontes sugerem a afirmação declarativa "Alexamenos adorando Deus", ou variações similares, como a tradução pretendida.



Data, local e descoberta

Não há consenso sobre a data em que a imagem foi feita. As datas propostas variam do fim do século I até o fim do século III,embora se considere o começo do terceiro século como a data mais provável.
O grafite foi descoberto em 1857, quando uma construção chamada Casa Gelociana (domus Gelotiana) foi desenterrada no Monte Palatino. O imperador Calígula adquirira a casa para ser um palácio imperial; após sua morte, a casa passou a ser usada como um Pedagógio, um internato para os pajens imperiais. Posteriormente, a rua da casa foi murada para suportar extensões da construção acima, e deste modo Casa Gelociana ficou selada por séculos.Atualmente, o grafite está no Museu Antiquário do Palatino, em Roma.




Desenho do grafite

Interpretações

A vasta maioria dos acadêmicos aceita que a inscrição é um desenho satírico de um cristão. Tanto o retrato de Jesus com uma cabeça de asno e a representação dele sendo crucificado seriam considerados ofensivos na sociedade romana da época. A crucificação continuou a ser usada como um método de execução dos piores criminosos até sua abolição por Constantino, no quarto século, e o impacto de uma figura crucificada seria comparável ao impacto do retrato de um enforcado ou alguém sentado em uma cadeira elétrica.
A acusação de que os cristãos praticavam adoração burros (onolatria) foi, aparentemente, comum na época. Tertuliano, escrevendo no final do segundo século ou começo do terceiro século da era corrente, informa que cristãos, assim como judeus, eram acusados de adorar uma deidade com a cabeça de um asno. Ele também menciona um judeu apóstata que carregava a caricatura de um cristão com orelha e cascos de burro em volta de Cartago, rotulada Deus Christianorum Onocoetes ("O Deus dos Cristãos nascido como um asno").
Uma posição alternativa afirma que o grafite representa a adoração dos deuses egípcio Anúbis ou Set.Também se cogita que o homem representado participava de uma cerimônia gnóstica envolvendo uma figura com cabeça de cavalo e que, ao invés de um upsilon grego, no canto superior direito vê-se uma cruz de tau.
Ainda mais uma teoria afirma que tanto o desenho quanto as gemas com imagens de crucificação da época eram relacionadas a grupos heréticos de fora da corrente principal da igreja.






sábado, 16 de julho de 2016

CARTAS ILUMINATI


Illuminati: New World Order (INWO), Nova ordem Mundial, é um jogo de cartas colecionáveis lançado por Steve Jackson Games, baseado no jogo Illuminati, que por sua vez foi inspirado no romance The Illuminatus! Trilogy. INWO venceu o Prêmio Origins de Melhor Jogo de Cartas em 1997. Muitos acreditam que as cartas realmente mostram acontecimentos relacionados com a implantação gradual da Nova Ordem Mundial.

Eu estou disponibilizando aqui 350 cartas individuais em formato PNG, e também um arquivo zip com todas as 350 cartas. De acordo com a wikipedia, o jogo original continha 412 imagens, e a coleção que temos aqui tem apenas 350. Eu depois localizei outro conjunto de imagens, que parecem ser as mesmas, mas este conjunto contém mais umas 25 imagens, além de imagens das embalagens e dos items dos jogos. Se alguém quiser verificar e tentar achar quais cartas tem lá que não tem neste post, favor avisar.
Se estiver muito pesado todas as imagens no mesmo post, eu posso quebrar em algumas partes.

Seria interessante começar a classificar as cartas em dois grupos: o que já aconteceu, o que está para acontecer e outras que seriam irrelevantes.



O Tetragrama

Para que compreendamos o que significa o Tetragrammaton é necessário, antes de tudo, definir acrônimo. A palavra acrônimo tem origem no grego (akron = extremidade + onymo =nome) e significa o conjunto de letras, pronunciado como uma palavra, formado a partir das letras iniciais (ou de sílabas) de palavras sucessivas que constituem uma denominação. Por exemplo, a sigla NASA (National Aeronautics and Space Administration) é um acrônimo.








Dessa forma, a palavra Tetragrama tem origem no grego (tetra = quatro +gramma = letra) e significa a expressão escrita, constituída de quatro letras ou sinais gráficos, destinada a representar uma palavra, acrônimo, abreviatura, sigla ou a pauta musical de quatro linhas do canto-chão.
Acredita-se que o Tetragrama hebraico designa o nome pessoal do "Deus de Israel", como foi originalmente escrito e encontrado na Torah, o primeiro livro do Pentateuco. Este tetragrama varia como YHWH, JHVH, JHWH e YHVH. Em algumas obras, especialmente no Antigo Testamento escrito em sua maioria em hebraico com partes em aramaico, o Tetragrama surge mais de 6 mil vezes (de forma isolada ou em conjunção com outro nome divino).


O impronunciável nome de Deus




A tradição esotérica dos judeus, a cabala, considera o nome de Deus sagrado e impronunciável. Possivelmente, a origem deste conceito está no terceiro Mandamento: "Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão; porque o Senhor não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão". (Êxodo - Capítulo XX - Versículo VII). Assim, um grupo de sábios judeus, conhecidos como Massoretas, incorporou "acentos" que funcionavam como vogais e viabilizavam a pronúncia do tetragrama, resultando na palavra Adonai (Senhor), que passou a ser utilizada para pronunciá-lo. Os nomes Jeová, Iehovah, Javé, Iavé, ou ainda Yahweh, são adaptações para a língua portuguesa da palavra Adonai, e não do tetragrama original.





Porém, há ainda uma crença entre os judeus do início do período cristão, que a própria palavra Torah seria parte do nome divino. Há outra relação interessante encontrada nos nomes originais de Adão e Eva, Yod e Chawah, respectivamente. Uma combinação entre estes dois nomes resulta numa das variações do tetragrama, YHWH, fato que sugere uma relação entre Criador e criatura. Com o decorrer do tempo, foram adotados outros termos para se referir ao Tetragrama: "O Nome", "O Bendito" ou "O Céu".
O místico cristão, Jacob Boehme, utilizando-se de uma cabala gráfica (conhecida como Árvore da Vida), encontrou os 72 Nomes de Deus (publicado em 1652, no livro Oedipus Aegypticus). Sendo que todos são formados por apenas quatro letras, o que caracteriza mais uma vez o tetragrama. Seguindo este raciocínio, encontramos também Tupã (divindade dos índios brasileiros), Yang (em chinês, possui vários significados, entre eles, Deus do bem), Bara (o equivalente à Deus na seita islâmica Beahismo) e Xiva (divindade Hindu).


Tetragrammaton: Símbolo e Amuleto

Se considerarmos que as letras de um alfabeto nada mais são que sinais gráficos, o Tetragrama, em sua representação gráfica, conhecido como Tetragrammaton, é uma complexa combinação de letras do alfabeto hebraico, grego e latino, associados a diversos símbolos conhecidos no ocultismo. Nele encontra-se o pentagrama entrelaçado, símbolos zodiacais, algarismos e formas geométricas, entre outras representações.
No ocultismo, incluindo suas diversas ramificações, o Tetragrammaton desempenha uma função muito importante, sendo usado em rituais e invocações e na forma de talismãs. Os ocultistas interpretam o Tetragrammaton e outros símbolos cabalísticos nele contidos, como poderosos signos mágicos, capazes de potencializarem rituais abrindo as portas da consciência humana.
Acompanhe a descrição de alguns elementos do Tetragrammaton:



Pentagrama
pentagrama assume diversos significados de acordo com o contexto em que é encontrado. Neste caso, é a base do Tetragrammaton. Assim, podemos interpretá-lo como símbolo do "Homem Realizado". Isto é, uma representação da entidade humana evoluída em todos os estágios espirituais.
Os olhos do Pai - Júpiter
No ângulo superior do Pentagrama, encontramos "Os olhos do Pai" e a representação do planeta Júpiter. Uma alusão aos olhos do Criador, o espírito, o poder que coordena tudo e todos.
Marte
Nos "braços" do Tetragrammaton encontra-se o símbolo astrológico e zodiacal do planeta Marte, representando a Força, ou a Energia pura da criação.
Saturno
Nos ângulos inferiores está a representação astrológica e zodiacal do planeta Saturno. É um dos principais símbolos usados na Magia, representando os mestres que anularam o próprio ego e as falhas inerentes ao ser humano, atingindo assim, a perfeição.
Sol e Lua
Posicionados nas linhas verticais do Pentagrama, próximos ao centro da figura, o Sol e a Lua fazem referência aos pólos femininos e masculinos da criação, contidos em todos os organismos, incluindo o Microcosmos e o Macrocosmos.
Mercúrio e Vênus
Estes símbolos são amplamente encontrados na literatura alquímica e são representações astrológicas e zodiacais destes planetas. Localizados sobrepostos no centro da figura, referem-se à união dos pólos de onde surgirá o Caduceu de Mercúrio.
Caduceu de Mercúrio
O Caduceu de Mercúrio é o símbolo alquímico da transmutação. Associado aos símbolos superiores de Mercúrio e Vênus, refere-se à criatura, ou seja, o resultado da união entre os pólos feminino e masculino, entre as forças lunares e solares, e o ponto de equilíbrio entre eles. Por estar localizado no centro da figura, também pode ser interpretado como a "coluna vertebral", ou, Kundalini, responsável pela união da energia sexual entre as polaridades.
Jehova
Esta inscrição hebraica é um tetragrama pronunciado Jehova (lê-se da direita para a esquerda), sendo mais uma das várias alusões ao "Nome de Deus".
Alfa e Omega
Alfa e Omega são, respectivamente, a primeira e última letra do alfabeto grego. Esta é uma referência ao princípio e fim de todas as coisas. Alfa está abaixo dos "Olhos do Pai". Omega encontra-se invertido, na base do Caduceu de Mercúrio. Isto pode significar o caldeirão utilizado pelos alquimistas, ou ainda, o caldeirão (útero) da Deusa, para alguns ocultistas.
Binário
Localizados fora do pentagrama, os números 1 e 2 são referências à bipolaridade; isto é, uma representação de que todas as coisas possuem dois lados. Seguindo este conceito, podemos também compreendê-los como outra manifestação dos pólos masculino e feminino, início e fim, bem e mal, entre outros.
Logos
Logos é uma palavra grega que significa razão, mas também é interpretada como "fonte de idéias" e "verbo divino". Associado ao Tetragrammaton, os números 1, 2 e 3 representam respectivamente o Pai, a Mãe e o Filho. Também pode ser interpretado como a Tríade do Cristianismo (Pai, Filho e Espírito Santo) ou como o triângulo, amplamente encontrado nas tradições esotéricas.
Cálice
O cálice significa o pólo feminino da criação. Na alquimia é utilizado para representar o elemento Água.
Espada Flamejante
A "espada de fogo", dentro do contexto alquímico, representa o próprio elemento fogo. Porém, associado ao Tetragrammaton, assume o papel do pólo masculino e do pênis, símbolo de fertilidade entre as antigas tradições.
Báculo
Báculo é o bastão comumente usado por Magos. Está dividido em sete escalas representando os estágios de evolução. Na alquimia está relacionado ao elemento Terra.
Hexágono do Mago
O hexágono do Mago representa o domínio do espírito sobre a matéria. Na alquimia está relacionado ao elemento Ar.

Não é possível definir apenas uma relação entre os vários símbolos que compõem o Tetragrammaton e tampouco uma finalidade específica desse conjunto. Seus sinais transitam entre correntes tão distantes que a interpretação, em certos casos, chega a ser paradoxal.
Se observarmos estas combinações simbólicas através do ângulo alquímico, teremos um determinado resultado. Porém, se analisado através dos conceitos astrológicos, por exemplo, a conclusão poderá ser totalmente distinta. Assim, a atenção e perspicácia do observador tornam-se fundamentais para decifrar o Tetragrammaton, um dos mais antigos e poderosos símbolos da espiritualidade humana.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Sociedade Thule



Resultado de imagem para SOCIEDADE THULE




Sociedade Thule (em alemãoThule-Gesellschaft), originalmente Studiengruppe für germanisches Altertum ("Grupo de Estudo para a Antiguidade Alemã") foi uma sociedade secreta ocultista e völkisch de Munique, fundado por Adam Alfred Rudolf Glauer,Barão de Sebottendorff, cujo nome era uma referência ao país místico da lenda grega. A sociedade é notável principalmente pela organização que patrocinou o Deutsche Arbeiterpartei (DAP), que posteriormente foi transformado por Adolf Hitler no Partido Nacional Socialista Alemão dos Trabalhadores (Partido Nazista). No entanto, não há nenhuma evidência de que Hitler tenha frequentado a Sociedade de Thule.[1] .
Por outro lado, existem inúmeras referências à participação de Hitler na sociedade Thule ou Vrill. Podemos constatar isso em: "The unknown Hitler" de Wulf Schwarzwaller; em "The coming race" de Bulwer Lytton's; em "Morning of the Magicians" de Jacques Bergier and Louis Pauwels; etc.
Podemos considerar como facto consumado a participação de Hitler, se atendermos a uma leitura cuidada na Biblioteca Estatal de Berlín. Pode-se também citar Wulf Schwarzwaller: "In Berlin, Haushofer had founded the Luminous Lodge or the Vril Society. The Lodge's objective was to explore the origins of the Aryan race and to perform exercises in concentration to awaken the forces of "Vril".""The Lodge included Hitler, Aalfred, Rosenberg, Himmler, Göring and Hitler's subsequent personal physician Dr. Morell. It is also known that Aleister Crowley and Gurdjieff sought contact with Hitler. Hitler's unusual powers of suggestion become more understandable if one keeps in mind that he had access to the "secret" psychological techniques of Gurdjieff, which, in turn, were based on the teachings of the Sufis and the Tibetan Lamas and familiarized him with the Zen teaching of the Japanese Society of the Green Dragon.”.
No programa "The Vrill Society" da Discovery Civilization, podemos constatar não só a participação de Hitler mas o cargo de Grão Mestre que ele desempenhou.

Século XX

No século XX, é relacionada ao Grupo de Thule, fundado em 17 de Agosto de 1918 por Rudolf von Sebottendorff em Munique. O nome Thule é derivado da ilha mística Thule. O seu nome original era "Studiengruppe für germanisches Altertum" (Grupo de estudo para a antiguidade germânica), mas em breve, com a formação do Grupo de Thule, esse começou a disseminar propaganda anti-republicana e anti-semítica. A Sociedade Thule existe há cerca de 1.200 anos e, desde sua fundação, teve como objetivo a promoção das antigas tradições religiosas europeias, tais como o druidismo, o wotanismo, o woragsmo, a asatru e a vanatru, desde sua fundação ela sempre foi dirigida por druidas e ghodis nos cargos de Grão Mestre e Venerável.
Foi um grupo precursor que teve importância na transformação do "Deutsche Arbeiterpartei" (Partido Alemão dos Trabalhadores) que mais tarde se tornaria o NSDAP (Partido Nazista). Teve membros dos escalões de topo do partido, incluindo Rudolf HeßAlfred Rosenberg, inclusive Adolf Hitler, que já era Grão Mestre Cátaro, foi iniciado na Sociedade Thule e no Grupo de Thule por Rudolf Heß, enquanto estavam presos no forte de Landsberg. O seu órgão de imprensa foi o "Münchener Beobachter" (Observador de Munique) que mais tarde se tornaria o "Völkischer Beobachter" (Observador do Povo), o jornal do NSDAP. A sociedade Thule é também conhecida por estar associada à sociedade secreta Germanenorden.
O símbolo associado com o Grupo de Thule era uma adaga, e com a Sociedade Thule era, e ainda é, o octagrama, muitas vezes com três triângulos ou raios em seu interior, ou apenas com o olho de Odhin no centro do octagrama (desde 2.012). O Grupo de Thule atuou no Brasil até 1969, quando voltou novamente e agora com lojas no sudeste (SP, RJ) e sul do país. A Sociedade Thule mantem forte atuação no Brasil, principalmente no contexto da expansão das religiões tradicionais europeias, anteriores ao cristianismo. Esse grupo religioso é conhecido como: religiões hiperbóreas, uma referência aos nossos antepassados que colonizaram este planeta há mais de 100.000 anos atrás. No Brasil, a Sociedade Thule é comandada pelo paulistano Grão Mestre, grau 33, Emerson A. P. Gama - Scanderminix ; o site oficial da mesma é : www.sociedade-thule.8m.com e o Grupo de Thule é comandado pelo gaúcho Eric Von Shulls, também Grão Mestre, grau 33.